Vereador Pedro Gomes comemora recuperação da rua Euclides da Cunha

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Ação cultural promove a valorização da mulher negra em Imperatriz


Realizado pelo Projeto Crioullo's evento aconteceu no último fim de semana no Imperial Shopping



Com foco na valorização da mulher negra, no último fim de semana, dias 30 e 31 de julho, o Projeto Crioullo's realizou o 1º Movimento Identidade, Arte e Cultura, no Imperial Shopping. A ação aconteceu em homenagem ao Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, comemorado no último dia 25, data que marca a luta e resistência da mulher negra contra a opressão de gênero, a exploração de classe e o racismo.

De acordo com uma das organizadoras da ação, Rosélia Costa, o projeto tem como objetivo principal estimular uma reflexão acerca da autoestima e combater o racismo presente no dia a dia do negro. “Dentro do Projeto Crioullo's o nosso objetivo é esse, levar o empoderamento da mulher. A mulher linda como ela é, da forma como ela é, com os seus traços. É isso que nós estamos valorizando”, afirma.

Nomes como o de Nelson Mandela, Zumbi dos Palmares e sua mulher Dandara, além da guerreira Tereza de Benguela foram lembrados por sua contribuição na luta pela desigualdade racial durante a exposição que, aconteceu no mall do empreendimento. O evento também contou com uma mostra de adereços africanos e camisetas criadas pelo projeto.

Para Jacilene Viana, que também faz parte da comissão organizadora, a mulher negra não deve ter vergonha de seus traços e, de acordo com ela, o movimento vem justamente ajudar a reforçar essa ideia. “A mulher negra pode usar o que ela quiser, pode estar onde ela quiser porque o espaço é nosso. Acabou essa onda de ficar se reprimindo”, reforça.

O evento contou ainda com oficinas de tranças e turbantes, além de uma apresentação da peça teatral “Gritaram-me Negra”, que retratou as diversas formas de preconceito que a mulher negra sofre no cotidiano. Também participaram do evento as professoras Maristane de Sousa e Marinalva Pereira, ambas da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Elas participaram como palestrantes, abordando temas como empoderamento negro e  cabelo afro.


Fonte: Assessoria de Imprensa



Comente com o Facebook: