Vereador Pedro Gomes comemora recuperação da rua Euclides da Cunha

terça-feira, 13 de setembro de 2016

8ª expedição no rio Tocantins está ameaçada devido ao assoreamento

De acordo com piloto o rio está tão seco que não permite a navegação do barco
Devastação da mata ciliar do rio é denunciada pelo ambientalista. (Foto: Domingos Cezar)

O jornalista e ambientalista Domingos Cezar está organizando sua 8ª expedição “Alerta, Rio Tocantins”, que tem o objetivo detectar os pontos mais críticos do rio na região lacustre, que fica localizada entre os municípios de Imperatriz a São Pedro D’Água Branca, no estado do Maranhão e entre os municípios de Praia Norte, a Esperantina, no lado do estado do Tocantins.

         Para tanto, o ambientalista que é diretor-tesoureiro da Fundação Rio Tocantins, já esteve reunido com a diretoria da Associação de Imprensa da Região Tocantina – AIRT, para tratar sobre a expedição, que dessa feita será integrada por equipes jornalísticas de todos os órgãos de comunicação da cidade. Juntar-se-ão ainda, representantes do Poder Legislativo, Executivo, entre outras instituições.

         Como se trata de uma expedição que contará com a participação de pelo menos vinte pessoas, Domingos Cezar procurou o experiente piloto Haroldo Paixão, proprietário da embarcação Cruzeiro, único que ainda insiste em fazer a linha Imperatriz/Marabá/Imperatriz. Ele transporta frutas produzidas pelos vazanteiros, pescado e ribeirinhos, que não tem outro meio de transporte.

         O experiente piloto que há mais de 40 anos navega entre essas duas cidades, disse que seu barco está parado há cerca de dois meses porque o rio não oferece o mínimo de navegabilidade. Haroldo Paixão, a exemplo de outras pessoas que utilizam as águas do rio Tocantins, como meio de sobrevivência garante que nunca viu o Tocantins com as águas tão baixas como atualmente.

         “Nas proximidades da Praia do Buriti, próximo a São Sebastião do Tocantins não temos condições de passar em face às pedras que podem furar o barco”, afirma o piloto, ressaltando que precisa trabalhar, mas não tem como navegar. “Vamos torcer para que no período da expedição (12 a 15 de outubro), o tio tenha enchido para que possamos realizar com êxito essa viagem”, assevera o piloto.

         Reunião – Na manhã dessa terça-feira (13), em anexo da Câmara Municipal, os membros e diretores da AIRT e da Fundação Rio Tocantins voltam a se reunir para tratar do andamento da expedição. Organizador de todas as outras expedições, Domingos Cezar garante que vai manter a data por acreditar que nesse período as águas do rio Tocantins tenham subido a ponto de permitir a navegação do barco até São João do Araguaia (PA). (Assessoria/FRT)



Comente com o Facebook: