Vereador Pedro Gomes comemora recuperação da rua Euclides da Cunha

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

SPC confirma mais de 58 milhões de brasileiros negativados

Em um ano, 1 milhão de brasileiros entraram nas listas de inadimplentes. Quase metade da população entre 30 e 39 anos está negativada

O número de consumidores com contas atrasadas e registrados nos cadastros de inadimplentes estabilizou em novembro, crescendo 0,69% na comparação com o mesmo mês de 2015, segundo dados do indicador do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). 
Apesar do cenário de estabilidade da inadimplência, no acumulado dos últimos 12 meses, a estimativa aponta que 1 milhão de brasileiros passaram a fazer parte das listas de restrição ao crédito – em novembro de 2015, o total de inadimplentes era de 57,5 milhões. Atualmente, são 58,5 milhões de consumidores com o CPF negativado, enfrentando dificuldades para realizar compras a prazo, fazer empréstimos, financiamentos ou contrair crédito. Isso significa que 39% da população brasileira adulta estão registrados em listas de inadimplentes.
Para o presidente da CNDL, Honório Pinheiro, o Brasil enfrenta dois movimentos distintos, que impactam o comportamento da inadimplência em direções opostas. “Se por um lado, a recessão dificulta a capacidade de pagamento dos consumidores, em virtude do desemprego e da inflação alta, por outro, a maior restrição ao crédito com juros ainda elevados e critérios de concessão mais seletivos, acaba impondo limites ao endividamento por parte dos brasileiros”, explica.
“A menor variação da inadimplência vem acontecendo porque o consumidor, no geral, está se endividando menos, seja pela queda na confiança em cumprir com os compromissos financeiros no futuro, seja pela maior restrição ao crédito. Infelizmente, o cenário não está ligado, portanto, a uma melhoria da capacidade de pagamento das contas”, avalia Pinheiro.

Comente com o Facebook: